Extensão do sono pode ser uma estratégia contra riscos cardiometabólicos?

sono

Por Nutri Luciana Andrade

Estudos mostraram relações bidirecionais entre a duração do sono curto ou longo e risco de obesidade, doenças não transmissíveis, mortalidade por todas as causas e mortalidade por doenças cardiovasculares. O aumento da duração do sono pode ser uma estratégia apropriada para reduzir o risco cardiometabólico em indivíduos que dormem pouco, por exemplo.

Sete estudos, que visavam aumentar a duração do sono em adultos por qualquer intervenção na extensão do sono, foram feitos. Eles tiveram um tamanho amostral combinado de 138 participantes saudáveis, cujas durações das intervenções de extensão do sono variaram de 3 dias a 6 semanas e todos aumentaram com sucesso o tempo total de sono entre 21 e 177 min.

A extensão do sono foi associada a melhores medidas diretas e indiretas de sensibilidade à insulina, diminuição da leptina e peptídeo tirosina, redução do apetite geral, desejo de alimentos doces e salgados, ingestão diária de açúcar livre.

Essas evidências indicam que o aumento da duração do sono por um período de 3 a 6 semanas é um procedimento viável, assim como uma intervenção aceitável que pode melhorar as medidas diretas e indiretas dos níveis de sensibilidade à insulina, bem como apetite e ingestão alimentar.

Referência: The effects of sleep extension on cardiometabolic risk factors: A systematic review

QUER RECEBER NOVIDADE POR E-MAIL?

CADASTRE-SE ABAIXO E RECEBA INFORMAÇÕES EM PRIMEIRA MÃO

β-Alanina no desempenho muscular

A β-alanina (β-ALA) é um β-aminoácido não essencial produzido no fígado. Este aminoácido é um constituinte da anserina, ácido pantotênico (vitamina B5) e carnosina. A

Leia mais »
×
Olá! Estamos a sua disposição também pelo whatsapp. Só precisa clicar aqui para iniciar uma conversa.