COVID-19 e Obesidade – Qual a relação?

Por Geraldo Amorim

O COVID-19, causador da pior pandemia em mais de um século, possui mais de 2,5 milhões de casos confirmados em todo o mundo. Existem preditores emergentes para casos graves que desenvolvem a síndrome respiratória grave e podem levar a óbito, dentre eles estão a idade avançada, sexo masculino, doenças cardiovasculares pré-existentes e fatores de risco como a hipertensão, a diabetes e a obesidade. Mas por que indivíduos com obesidade estão predispostos ao risco de aumento de resultados negativos no que diz respeito a evolução da doença?

A obesidade possui um grande histórico como fator de risco para diversas doenças, como na pandemia de influenza A subtipo H1N1, em que esteve fortemente associada a um pior resultado.
Estudos apresentam que a entrada e o derramamento viral prolongado no tecido adiposo já “inflamado” pode aumentar as respostas imunes com consequências para a amplificação em cascata de citocinas. Destacamos o tecido adiposo como um tipo especial de tecido conjuntivo que se caracteriza por armazenar gordura em células especializadas, uma fonte abundante de enriquecimento local e sistêmico de citocinas, algumas já associadas independentemente ao aumento da mortalidade por COVID-19.


Nosso comportamento em relação a saúde pode impactar diretamente em nosso organismo e sistema imunológico. Busque uma melhor qualidade de vida através de uma boa alimentação, exercícios físicos e suplementação de vitaminas, reduzindo dessa forma o risco de complicações em caso de contaminação por COVID-19!
Fonte: Is Adipose Tissue a Reservoir for Viral Spread, Immune Activation and Cytokine Amplification in COVID-19

Privação do sono e Ansiedade – Por que as mulheres são mais afetadas?

Por Luciana Andrade

O sono insuficiente e/ou irregular é conhecido por muitos como um vilão da ansiedade. Mas você sabia que nem todos experimentam esses efeitos na mesma medida? Um fator determinante é o sexo, onde as mulheres experimentam um maior impacto ansiogênico em resposta à perda de sono do que os homens.

Foi identificada uma relação específica do sexo feminino entre perda de sono, ansiedade e estrutura cerebral em regiões afetivas do cérebro envolvidas na integração do sinal viscerossensorial, como fatores endócrinos, fatores imunológicos, contexto cognitivo, etc. De relevância fundamental, acredita-se que os estados de ansiedade surjam como consequência da integração inadequada e do uso de informações viscerossensoriais para prever estados corporais aversivos, particularmente no nível desses córtices integrativos, levando à ansiedade.

Especificamente, as mulheres demonstram maior reatividade nas regiões corticais de geração e integração de emoções, além de associações mais fortes entre a ativação cerebral nessas regiões e os estados emocionais subjetivos do que os homens. Os estudos sugerem que as diferenças sexuais na ansiedade após a privação do sono não são o resultado direto de dimorfismos sexuais da estrutura cerebral, mas sim uma interação entre a estrutura cerebral e o recrutamento específico por sexo dessas regiões.

Você sente um aumento progressivo da sua ansiedade após condições de sono irregulares?

FONTE: Sex, Sleep Deprivation, and the Anxious Brain
(Andrea N. Goldstein-Piekarski, Stephanie M. Greer, Jared M. Saletin, Allison G. Harvey, Leanne M. Williams e Matthew P. Walker)

O papel da RHADIOLA RÓSEA no gerenciamento do estresse

Por Luciana Andrade

O estresse, que faz parte do nosso cotidiano, é uma reação fisiológica que vem a partir de estímulos como ameaça ou pressão. E ele causa sintomas que nos trazem desconforto como a exaustão ou energia baixa. E esses dois pontos anteriores dificultam numa melhor produtividade.
Mas como gerenciar o estresse para ter uma boa qualidade de vida?

A resposta está na natureza! O composto Rhodiolarosea possui o potencial de inibir sintomas tanto físicos quanto psicológicos do estresse, diferentemente de outros remédios que são indicados para o combate a essa reação fisiológica. Esses remédios, muitas vezes, só combatem alguns sintomas do estresse, trazendo problemas para o indivíduo com estresse.

Rhadiola rosea é um poderoso aliado também para prevenção de complicações ligadas ao estresse, como o Burnout–desenvolvido a partir de uma vida com altos picos de estresse. Podendo causar fadiga crônica, vida sexual debilitada, mudanças de humor, dor de cabeça e hipertensão. Procure seu nutricionista e saiba como inserir esse composto para melhorar sua qualidade de vida a partir de uma medicina natural!

Fonte: Ion-George Anghelescu et all.Stress management and the roleof Rhodiolarosea: a review. In: International Journal of Psychiatry in Clinical Practice. 2018.

A importância do Ciclo Circadiano na regulação do sono

Por Dr. Geraldo Amorim

Você já ouviu falar em ciclo circadiano?

Quando falamos em ritmo circadiano, nos referimos ao período de aproximadamente 24 horas sobre o qual se baseia o ciclo biológico de quase todos os seres vivos. A regulação dos horários do sono, por exemplo, é a forma mais clara de comprovar a importância deste ciclo para o funcionamento do organismo humano. Ao longo desse período, os genes regulam a liberação do hormônio melatonina em que, durante a noite, no escuro, os níveis aumentam e, durante o dia, através da claridade, diminuem.

A falta de aproveitamento do sono, distúrbios do sono-vigilância ou fatores extrínsecos como trabalho por longos turnos e/ou plantões resultam em anormalidades no ciclo circadiano. Causando assim, o desalinhamento do ciclo claro-escuro, fator importante para o relógio biológico, e o ritmo circadiano de um indivíduo.
Em contrapartida, é possível estimular a organização do relógio biológico utilizando “pistas” de tempo como a luz (fator fótico) e a realização de atividades físicas (fator não fótico). Ao se expor à luz mais cedo que o habitual durante a manhã é possível mover o ciclo para mais cedo assim como ao se expor à luz durante a noite move-o para mais tarde.

É importante destacar que as alterações no sistema que controla o ciclo circadiano podem acarretar sintomas alarmantes de insônia e sonolência diurna excessiva. Outro ponto que o ciclo circadiano regula é o apetite. É por causa desse ciclo que muitas vezes não sentimentos muita fome pela manhã, apesar de ter passado um longo período dormindo.

Analise como está o seu ciclo circadiano e ganhe vitalidade e longevidade 💪🏻

FONTE: SERFATY, Fabiano M. Ciclo circadiano na prática clínica: as lições do Nobel de medicina.