Os seus hábitos podem te salvar

A Agência Internacional de Pesquisa em Câncer (International Agency for Research on Cancer) revela que 25% dos casos de câncer ao redor do mundo são causados por obesidade e um estilo de vida sedentário. Estudos clínicos também reforçam esses resultados, afirmando que a atividade física reduz a progressão do câncer, o que causa impacto nos índices de sobrevivência.

Você ainda não sabe como a atividade física te ajuda a diminuir o risco de câncer?

Relaxa que eu te explico 🤓

A atividade física reduz significativamente a inflamação, o estresse oxidativo, a porcentagem de tecido adiposo, a hiperinsulinemia, a leptina e as quantidades de hormônios sexuais.

E se você acha que ao começar a ser “fitness” só estará evitando doenças, fique de olho em todos os resultados positivos que vem junto do pacote 👀

+ imunidade
+ capacidade antioxidante
+ microbiota mais saudável
+ resposta anti-inflamatória

No mesmo estudo também encontramos evidências de que mulheres fisicamente ativas apresentam uma redução de 20% da incidência de câncer de mama se comparadas a mulheres sedentárias.

E então? O que você prefere? Uma prevenção ou diagnóstico 🤷‍♀‍?

3 sinais de que está precisando checar o seu zinco

O zinco é um mineral de extrema importância para o nosso organismo, destacando-se, principalmente por seu papel na imunidade, transcrição de genes, proteção das membranas celulares e crescimento de células T.

✅Primeiro sinal de você está com deficiência de zinco são surtos constantes de alergias crônicas, diarreia, perda de cabelo e inflamações de pele e problemas relacionados à atenção. Isso ocorre porque, como o zinco é importante para o crescimento de células T, a deficiência do mineral dificulta a apoptose, processo que “mata” células infectadas por microrganismos, fragilizando nosso sistema defesa.

✅Se seu apetite mudou radicalmente nos últimos meses , fique de olho, pois a hipozincemia pode e ser a culpada. O zinco desempenha um papel importante na função enzimática e na regulação metabólica e é um modulador significativo do apetite e dos comportamentos alimentares. Sugere-se que a hipozincemia contribua para a resistência à insulina e a obesidade por meio da diminuição da secreção de insulina. Dessa forma, o zinco pode diminuir a ingestão de alimentos, por exemplo, aumentando a produção de leptina e subsequentemente diminuindo o neuropeptídeo hipotalâmico Y.

✅Pessoas com hipozincemia apresentam, também, dificuldade na cicatrização de feridas pois

o zinco atua amplificando a proliferação das células, aumentando a epitelização e melhorando a resistência do colágeno durante o processo de cicatrização dos ferimentos.

E você, já dosou seus níveis de zinco alguma vez?