O segredo para desinflamar está na rotina

Nosso corpo funciona a partir do TIC TAC⏰ controlado pelo nosso Relógio Biológico. Ele regula nosso sono, apetite, função intestinal, produção hormonal, obedecendo a um ritmo autorregulado chamado RITMO CIRCADIANO.
Desregular esse ciclo, gera uma série de desequilíbrios hormonais e bioquímicos que, por fim, levam ao aparecimento da INFLAMAÇÃO. Para manter esse RITMO CICARDIANO estável É PRECISO ROTINA e DISCIPLINA.

Montamos uma rotina para você! Prepara o caderninho ✍🏼
✅ 😴Durma às 22h e acorde antes das 8h: A produção de MELATONINA começa às 20h e tem um pico as 2h da madrugada. Nesse horário você já tem que estar no sono PROFUNDO para garantir descanso profundo e uma boa produção hormonal. Pela manhã ocorre o pico de CORTISOL e se você dorme após as 22h é capaz dos níveis de cortisol serem inadequados ao acordar. Um dos principais sinais é acordar cansado pela manhã.

✅ 😛Faça sua higiene bucal e tome 500ml de água ao acordar: A língua acumula muitas bactérias e sujeiras. Por isso, o raspador de língua antes das refeições é um grande aliado para eliminar bactérias e manter o hálito em dia. Feito isso, tome 500ml de água que vão te ajudar a fazer COCÔ E XIXI com maior regularidade.

✅🥗Almoce entre 12h-13h. É o horário de maior capacidade digestiva do seu corpo; ⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀
✅🏋️‍♂️Pratique atividade física: O melhor horário é até final da tarde para não atrapalhar seu sono. Se for treinar à noite tente no máximo até 3h antes de 🛌 dormir;⠀⠀⠀⠀⠀⠀

✅ 🍌Aumente os níveis de serotonina naturalmente: No final da tarde os níveis de serotonina começam a cair, o que pode gerar mau humor, ansiedade e fome excessiva. Aposte em um lanche rico em triptofano (aveia, banana, ovos, oleaginosas, cacau, etc);⠀
⠀⠀⠀⠀⠀
Eita que agora não tem como errar! Você já tem algum desses hábitos na rotina?🤔

Checklist para desinflamar

Você provavelmente se identificou com os sintomas de inflamação dos últimos posts!

Agora vamos reverter essa situação com um checklist essencial para desinflamar!

Se você quiser um primeiro objetivo para focar, preze pela higiene do seu sono. O sono tem papel restaurador, regulador do sistema imunológico e te garante vitalidade para ter energia durante o dia! Você sabia que a privação de sono está frequentemente associada à incidência de câncer e doenças cardiovasculares?

Precisa de uma ajudinha a mais para cuidar da sua saúde? Passa na Clínica Amorim. Estamos ansiosos pela sua visita!

Como saber se meu corpo está inflamado?

Fique de olho nesses sintomas 👆🏼👆🏼👆🏼 Eles indicam que você está inflamado❗ Nosso corpo tem mecanismos eficientes para manter a homeostase (equilíbrio interno), se reparar, e manter a sua saúde em dia. Ao se alimentar mal, ter sono inadequado constantemente, fazer uso indiscriminado de medicamentos, não cuidar do seu intestino e ter estresse e sedentarismo descontrolado, você atrapalha esse equilíbrio e obriga o seu corpo a se defender. Contudo, como a maioria dessas causas fazem parte da rotina, o organismo pode se acostumar a viver nesse estado de defesa e desenvolver uma inflamação crônica. Me conta: você está inflamado🤔? Deixe nos comentários com quantos sintomas você se identificou! Nos próximos posts vamos te dar os passos essenciais pra começar a desinflamar e se livrar desses sintomas indesejados 😉

O que é doença inflamatória?

A Inflamação crônica, já descrita em pesquisas científicas, está associada ao aparecimento de uma série de doenças que se instalam no nosso corpo de forma gradativa, danificando-o. Essa Inflamação, no entanto, não aparece do dia para a noite, mas vem mostrando sinais e sintomas que, na grande maioria das vezes, não são interpretados corretamente pelo paciente.

Além disso, muitas vezes os resultados dos seus exames são “normais” e dentro do padrão de referência. Já expliquei várias vezes para vocês que exames normais NÃO SIGNIFICAM SAÚDE.

Prestem mais atenção aos sinais que seu corpo demonstra no dia-a-dia como: insônia, cansaço, fadiga, dores articulares/musculares, problemas intestinais, cefaleias constantes, ansiedade, momentos depressivos sem causa aparente, perda da memória, lesões de pele, volume menstrual aumentado, alergias crônicas e outros.

Eles podem ser a evidência que seu corpo está “INFLAMADO” e precisa de cuidados especiais.

Você tem alguns desses sintomas acima e já investigou?

“Dona Maria tomava chazinho de camomila e boldo diariamente, mas nada resolvia a inquietação e angústia que ela sentia…”

Depois de muita resistência, dona Maria resolveu ir a um médico integrativo, para avaliar como estava sua saúde. Na primeira consulta ela relatou:
“Dr. desde o começo da pandemia quando eu iniciei trabalho em home office meu nível se estresse se elevou.
Não consigo dormir à noite, acordo cansada e tenho muita sonolência durante o dia. Minhas unhas e cabelo estão fracos e aumentei 6kg de peso, em especial na barriga. Já procurei alguns médicos, mas todos dizem que meus exames estão bem e me passaram apenas um remédio tarja preta para dormir
e um remédio para inibir a fome.
Mas doutor, eu sinto que não estou bem… e não aguento mais estar assim.”

Ao ser avaliada dona Maria estava com a pressão alta , olheiras, unhas descamativas e manchas no pescoço. Nos exames estava com Cortisol pela manhã e à noite elevados, a glicose e a insulina de jejum estavam elevadas e a testosterona abaixo da faixa inferior da normal idade.

Inicialmente dona Maria foi orientada sob medidas de higiene do sono e lhe foram prescritos fitoterápicos da medicina Ayruveda e melatonina
para reequilibrar o sono.

Foram repostas, também, vitaminas C e do complexo B, Tirosina, L-theanina, magnésio e vitamina D para ajudar a reequilibrar os níveis de energia e favorecer a produção de cortisol e neurotransmissores como a serotonina e dopamina.

Quando ao seu estilo de vida, foi sugerido massagens semanais e iniciar Yoga ou meditação para ajudar no reequilíbrio da saúde mental.
Ela iniciou musculação 3x por semana e foi orientada a aderir uma dieta low carb sem industrializados.

Após 3 meses de tratamento dona Maria retorna para nova consulta médica dormindo melhor, com mais energia e havia perdido 4kg de massa gorda. Estava mais feliz e nos exames tanto os níveis de cortisol e de testosterona estavam melhores.

O estresse mata e mutila milhões de pessoas em todo o mundo. Para lidar com esse mal, que pode inclusive causar o aparecimento e doenças graves c
om câncer, infarto e depressão, compulsão alimentar etc, você precisa de uma avaliação holística completa que envolve reequilíbrio hormonal, exercícios, alimentos nutritivos e práticas integrativas de saúde mental

CORTISOL – Mocinho ou Vilão

O Cortisol é um hormônio produzido pelas glândulas suprarrenais, localizadas acima dos rins, com diversas funções positivas como manter a adequada resposta do nosso corpo ao estresse, modular nossa imunidade, manter os níveis estáveis de glicose no sangue, e regular nossa pressão arterial, contribui para o bem-estar mental e tem atividade anti-inflamatória, sendo, também, o único hormônio que aumenta sua expressão com a idade.

É importante lembrar que os níveis de cortisol presente no sangue variam durante as 24h do dia porque esse hormônio possui intima relação com a atividade diária e com o hormônio serotonina, responsável pela sensação de prazer e de bem-estar.

Dessa forma, os níveis de Cortisol são reféns de variáveis do dia a dia.
Uma dessas variáveis é o estresse – O que faz tal hormônio ser apelidado de “O hormônio do estresse” – que aciona maior liberação de Cortisol no organismo com o objetivo manter nosso estado de alerta e energia em níveis adequados.

Contudo, caso a elevação de cortisol no sangue se torne habitual, alguns sintomas indesejados podem ser manifestados como:
Perda de massa muscular, aumento do peso, aumento das chances de osteoporose, dificuldade na aprendizagem, baixo crescimento, diminuição da
testosterona, lapsos de memória, aumento da sede e da frequência em urinar, diminuição do apetite sexual e vontade excessiva de comer doces

Como você tem lida do com o estresse atualmente?
Se você pudesse mudar alguma coisa na sua saúde hoje, o que seria?

Não esqueça de me contar nos comentários!

Como o estresse crônico altera sua testosterona e sua tireoide?

O CORTISOL é um dos principais hormônios do nosso corpo e influencia a resposta do nosso corpo ao estresse, coordenando a reposta de “LUTA OU FUGA” e nosso ritmo circadiano.
Porém, como qualquer hormônio, os níveis de cortisol devem se manter em equilíbrio para que o organismo e a dinâmica de outros hormônios não sejam comprometidos.

O hormônio TESTOSTERONA, derivado do colesterol como o próprio cortisol, tem sua produção prejudicada nas situações de “estresse crônico”.
Nestas situações, o “estresse crônico” desvia a cascata hormonal do colesterol de modo a priorizar a produção de Cortisol o que, consequentemente, diminui a produção e os níveis de testosterona, ou seja, quanto 🔼 maior a produção de cortisol, 🔽 menor a produção de testosterona.

Os sintomas da queda de testosterona são: Baixa libido e produção de esperma , baixa energia, depressão, ganho de peso e pouca autoconfiança.

Além disso, os hormônios TIREOIDIANOS, protagonistas no controle do metabolismo, também são reféns dos níveis de cortisol. Altos níveis de cortisol diminuem a conversão da tiroxina (T4) a triiodotironina (T3) e aumentam os níveis de hormônio da tireoide reversa (rT3). O aumento dos níveis de T3r favorecem o aparecimento de sintomas de hipotireoidismo, como cansaço, cabelos e unhas fracas, frio excessivo e aumento de gordura abdominal.
Se você está passando por momentos de Ansiedade e Humor alterado, ganho de peso e fadiga extrema está na hora de avaliar seus hormônios.

Agende sua consulta com nosso médico Geraldo Amorim na Clínica Amorim.
Cuidar da sua saúde não pode ficar me segundo plano.

Covid-19: testosterona baixa aumenta o risco de casos graves, diz estudo

Um estudo realizado pela Universidade de Washington chegou à conclusão de que baixos índices de testosterona podem estar associados a casos mais graves de Covid-19 nos homens. Os pesquisadores identificaram que 66 dos 90 homens que tiveram seus materiais genéticos analisados apresentaram quadros graves da doença e uma taxa de testosterona de 65% a 85% menor do que os outros 24 homens que apresentaram sintomas mais moderados. De acordo com os pesquisadores, índices como idade, Índice de Massa Corporal e comorbidades não tiveram interferência nos resultados.

A taxa de testosterona em homens é considerada baixa se houver até 250 nanogramas por decilitro. Dentre os que deram entrada no hospital, aqueles que apresentaram quadros mais graves chegaram a apresentar uma média de 53 nanogramas por decilitro, ao mesmo tempo que os que apresentaram quadro moderado tiveram média de 151 nanogramas por decilitro.

Para os autores do estudo, aqueles que apresentavam índices baixos do hormônio tinham mais chance de precisar de atendimento intensivo ou intubação nos dois ou três dias subsequentes. Isso não significa necessariamente que repor testosterona por atenuar os quadros de COVID grave, e ela pode ser apenas um marcador da gravidade de doença.

Sabemos que a testosterona baixa está associada a síndrome metabólica e maior incidência de inflamação crônica nos homens o que por sua vez pode aumentar o risco de COVID grave.

Quer saber mais? Se liga nos nossos STORIES e no IGTV.

Conta ai nos comentários como anda seus níveis de testosterona.

Fonte: https://veja.abril.com.br/saude/covid-19-testosterona-baixa-aumenta-risco-de-casos-graves-diz-estudo/

Imagem: Digital generated image of many syringes with Covid-19 vaccine stuck into planet Earth visualising global vaccination. //Getty Images

Melatonina – A aliada contra o corona vírus

A melatonina produzida no pulmão pode atuar como uma barreira de proteção contra o coronavírus. Essa descoberta foi realizada por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP)e explica o porquê há pessoas que não são infectadas ou que estão com o Sars-CoV-2, detectado por teste do tipo RT-PCR, não apresentam sintomas de Covid-19. Além disso, abre a perspectiva de uso da melatonina administrada por via nasal – em gotas ou aerossol – para impedir a evolução da doença em pacientes pré-sintomáticos.

“Constatamos que a melatonina produzida pelo pulmão atua como uma ‘muralha’ contra o Sars-CoV-2, impedindo que o patógeno entre no epitélio, que o sistema imunológico seja ativado e que sejam produzidos anticorpos”, diz Regina Pekelmann Markus, professora do Instituto de Biociências (IB) da USP e coordenadora do projeto.

Fonte: Melatonin-Index as a biomarker for predicting the distribution of presymptomatic and asymptomatic SARS-CoV-2 carriers (DOI: 10.32794/mr11250090), de Pedro A. Fernandes, Gabriela S. Kinker, Bruno V. Navarro, Vinicius C. Jardim, Edson D. Ribeiro-Paz, Marlina O. Córdoba-Moreno, Débora Santos-Silva, Sandra M. Muxel, Andre Fujita, Helder I. Nakaya, Marcos S. Buckeridge e Regina P. Markus

Posicionamento da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) a respeito de micronutrientes e probióticos na infecção por COVID-19

VITAMINA A: Há evidências de que a suplementação de vitamina A reduz morbidade e mortalidade em várias infecções e resultados adversos durante infecções virais têm sido associados a baixos níveis de vitamina A. Essa hipótese foi resgatada em recente revisão que propõe que a vitamina A deve ser considerada em pacientes portadores de COVID-19.

-VITAMINA C: A vitamina C pode reduzir a suscetibilidade do hospedeiro a infecções do trato respiratório inferior sob certas condições, assim como exercer funções fisiológicas para diminuir os sintomas gripais, por sua ação anti-histamínica fraca. Estudos relataram que havia incidência menor de pneumonia em grupos de pacientes suplementados com vitamina C.

– VITAMINA D: Estudos mostram que o colecalciferol aumenta a expressão de peptídeos antibacterianos, contribuindo para melhor resposta imunológica do hospedeiro. A partir da suplementação, pacientes infectados podem melhorar a recuperação, reduzindo os níveis de inflamação e melhora da ativação imunológica.

– ZINCO: É um oligoelemento essencial para a função imune inata e adaptativa. Tem sido relatada atividade antiviral do zinco pela inibição da replicação viral em cultura de células, inibindo a atividade RNA do coronavírus e pela amplificação da ação antiviral de citocinas.

-SELÊNIO: O selênio ocupa papel importante na defesa antioxidante do hospedeiro e no grau de patogenicidade do vírus, tirando a sobrecarrega do sistema de defesa e induzindo o equilíbrio redox.

-PROBIÓTICOS: Estudos sistemáticos suportam utilização cuidadosa de probióticos ou simbióticos, reduzindo pneumonia associada à ventilação mecânica e infecções em doenças críticas pois o epitélio e o sistema imunológico do hospedeiro interagem ativamente entre si.

A suplementação de vitaminas, minerais e probióticos não tratam ou previnem a infecção por COVID-19, porém pode otimizar a resposta imunológica, atuando como tratamento coadjuvante
FONTE: ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NUTROLOGIA (ABRAN)